TAXISTAS PROTESTAM EM FRENTE À RESIDÊNCIA DE RODRIGO MAIA NO RIO

Taxistas protestam em frente à residência de Rodrigo Maia no Rio

Cerca de 30 taxistas realizaram um protesto em frente à residência do Rio do Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, na madrugada desta quarta-feira. O ato ocorreu no bairro de São Conrado, na Zona Sul da cidade. De acordo com a categoria, a manifestação reivindicava, principalmente, a votação da projeto de lei (PL) 5.587, que regulamenta serviço de transportes de passageiros em veículos particulares, como o oferecido pelo aplicativo Uber. Taxistas já protestaram no mesmo local em outras ocasiões.

— Estamos aqui para reivindicar ao Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que coloque em pauta a PL, que ele já adiou por três vezes. Isso só aumenta a dificuldade e o sangramento da classe — afirmou o taxista David Marques, motorista há mais de 23 anos. — Essa PL normatiza o trabalho desses aplicativos que atuam com carros particulares. Queremos que haja uma para que a competição seja mais igualitária.

Por volta da 1h30m, o grupo estava em frente ao condomínio. Eles gritavam palavras de ordem durante a manifestação. A via do bairro, no entanto, não chegou a ser interditada ao tráfego. Uma patrulha da Polícia Militar também foi acionada para o local para acompanhar o protesto. O ato, cujos integrantes empunhavam bandeiras do Brasil e faixas com dizeres como “os taxistas sangram”, foi pacífico.

— A inércia é a resposta por parte de Rodrigo Maia. Ele já adiou essa votação dessa lei, que era para ter sido colocada em pauta. Queremos que ele resolva o nosso problema. Nossas dificuldades acontecem há mais de dois anos. Hoje, o taxista recebe, em um mês, cerca de 55% a menos do rendimento (se comparado com com os ganhos que os motoristas conseguiam há cerca de dois anos e meio). Exigimos que ele (Rodrigo Maia) cumpra a palavra dele — completa David.

SEGUNDO PROTESTO DE TAXISTAS

Nesta segunda-feira, o prefeito Marcelo Crivellla pediu o prazo de uma semana para dar um parecer sobre as reivindicações feitas pelos taxistas que protestaram contra os veículos particulares que fazem transporte de passageiros. Um grupo formado por quatro taxistas reuniu-se com Crivella na sede da prefeitura. Antonio Oliviero, presidente do Sindicato dos Motoristas de Empresas e Auxiliares do Estado do Rio de Janeiro (Simeataerj), entidade filiada à CSB, afirmou que Crivella mostrou-se bastante solícito.

– A reunião foi extensa e bastante proveitosa. O prefeito nos pediu o prazo de uma semana para que uma nova reunião seja realizada. Essa mesma comissão voltará à prefeitura para discutir o resultado do que foi solicitado hoje, além de ouvir o parecer do prefeito – contou Oliviero, logo após o fim da reunião.

Representantes do Simeataerj afirmam que o único pedido é para que o governo cumpra as leis. Segundo a entidade, há várias normas já publicadas que dizem respeito aos aplicativos que trabalham com carro particular, como Uber, por exemplo, que não estão sendo cumpridas. Ainda segundo a entidade, “os táxis são facilmente identificados e não são alvejados em comunidades do Rio, diferentemente dos outros veículos que transportam passageiros”.

Fonte: O Globo

Compartilhe:
  • Print
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Add to favorites
  • Facebook
  • del.icio.us
  • Digg
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • MSN Reporter
  • Live
  • Yahoo! Buzz

Post to Twitter

Esta entrada foi publicada em Política, Sindical. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *